terça-feira, 6 de janeiro de 2009

O Novo


Dia 31/12/2008, chegamos na praça de Miguel Calmon às 22:30. Levamos as crianças para o parque e, de repente, o cantor de um palco improvisado grita no microfone: feliz ano novo! E meu ano novo começou assim... meio mais ou menos... Chego em casa no dia 06/01/09 para encontrá-la detonada. Recebo no dia seguinte um mail informando sobre o fim do contrato de aluguel de um imóvel e outro, dizendo que segunda era o último dia para realizar meu teste demissional. Nossa, não vi os fogos de artifício estourando na minha cabeça, não era pra terem estourado só no céu?! Depois de chorar minha tristeza, reorganizar a casa, o armário e algumas outras coisas, me dei conta que a vida estava me empurrando para novos começos, me levando a optar pelas alternativas que já havia escolhido para mim desde o ano passado. Mas quando elas vieram, nossa, que impacto, que medo. Percebi que podia encolher e continuar só chorando, presa na tristeza das perdas. Foi aí que sorri! Meus desejos estavam sendo atendidos muito antes do esperado e se para conquistá-los precisava abrir mão do vellho, que assim fosse, que assim seja! Que venha o novo!

2 comentários:

Jorge Solovera disse...

Um beijo enorme. e que todos os começos sejam janelas abertas para o sol.
;)

saudades!

Cris disse...

As vezes o novo vem num pacote estranho. O importante é aceitar de peito aberto. Saudades...